Pular para o conteúdo principal

"Esperamos fazer um belo evento e que o público possa recordar"


Por Bruno Brito e Leonardo Gonçalves


Faltam poucos dias para a sétima edição do Prêmio Francisco Montezuma de Comunicação. O evento acontecerá às 18 horas do dia 1º de março, no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL). O tradicional evento, que premia os estudantes de comunicação, está sendo organizado pelos alunos do curso de Publicidade e Propaganda e pelo professor Péricles Diniz, que coordena o Grupo de Estudos da Mídia (GEM). Em entrevista, os estudantes Renan Rodrigues e Claudemir Galvão contaram como tem sido colaborar na organização do evento.

WhatsApp Image 2018-02-20 at 10.09.33 (1)
Claudemir Galvão
Claudemir Galvão tem 20 anos e nasceu em Salvador-BA. É estudante do 2º semestre de Publicidade e Propaganda e trabalha com fotografia em eventos esportivos e ensaios fotográficos. No Montezuma, o estudante assumiu a função de assessor de imprensa.
Como participar da organização do prêmio Montezuma está acrescentando à sua vida estudantil?
Participar da organização do prêmio está sendo muito gratificante e interessante, pois ainda estou no segundo semestre e fazer parte de um evento tão importante como o Prêmio Montezuma agrega bastante conhecimento na área da comunicação.
Como é assessorar um evento da importância do Montezuma?
É um pouco trabalhoso, mas é gratificante ver as notícias a respeito do prêmio circular em páginas, blogs e ter uma repercussão positiva.
Como foi o processo de divisão dos cargos ocupados pelos alunos na organização do evento?
A divisão dos cargos foi feita em sala. O professor Péricles nos mostrou e explicou as funções, e a partir daí fizemos as nossas escolhas.
Qual a sua expectativa para essa 7 º edição do prêmio Montezuma?
Expectativa positiva. Estou muito ansioso para o dia 1° de março. Tenho certeza que todo empenho da turma de Publicidade e dos alunos de Jornalismo que estão colaborando na realização das matérias, irá abrilhantar esta festa.
C:\Users\Magazine luiza\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCache\Content.Word\WhatsApp Image 2018-02-20 at 10.09.33.jpeg
Renan Mateus
Renan Mateus, 20 anos, é natural de Ouro Preto do Oeste – Rondônia. Acadêmico de Publicidade e Propaganda na UFRB, tem passagens profissionais por afiliadas da RecordTV e RedeTV. Atualmente é redator do site balanconoticias.com.br.

Qual a importância do Prêmio Francisco Montezuma para os estudantes de comunicação social?
É bem legal a gente poder valorizar os trabalhos dentro da universidade, e acredito que, quando nos valorizamos, criamos mais ânimo para produzir e principalmente para continuar dentro da vida acadêmica.
Para alguns alunos de Publicidade e Propaganda essa pode ser a primeira oportunidade de organizar um evento. Como você avalia essa experiência? Este é o primeiro evento que você organiza?
É o primeiro prêmio que organizo. Estamos tendo uma experiência diferente, e principalmente que será útil na nossa carreira profissional.
Quais as funções que os estudantes de Publicidade e Propaganda estão ocupando na organização da premiação?
Várias funções. Estamos fazendo arrecadação de fundos, assessoria de imprensa, produção local, roteiro do evento, etc... Enfim, com a ajuda do Prof. Péricles, estamos fazendo de tudo na organização do evento.
Quais são as principais dificuldades encontradas na organização do evento?
Fica difícil falar por estarmos divididos em setores, porém eu acredito que seja a arrecadação de fundos, até pela situação econômica que o país está passando.
Quais as expectativas para essa 7 º edição do prêmio Montezuma?
Esperamos fazer um belo evento e que o público possa recordar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Prêmio Montezuma de Comunicação anuncia os jurados da sua oitava edição

Confira os ganhadores do VII Prêmio Montezuma

Resultados do VII Prêmio Francisco Montezuma de Comunicação, realizado no auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB, em Cachoeira, no último dia primeiro de março de 2018. O projeto de extensão é de autoria do professor Péricles Diniz e a equipe de organização do evento deste ano foi composta por estudantes de Publicidade e Propaganda e de Jornalismo. Este ano, o evento teve como tema os 50 anos da Tropicália, por este motivo a decoração, roupas e até o próprio troféu foram inspirados na estética do movimento. Para compor o júri foram convidados: a jornalista Suely Temporal, a publicitária Jéssica Almeida, a jornalista, fotógrafa e cantora Rita Tavares, o professor Juliano Mascarenhas e a professora Juciara Nogueira.



Premiados:
FOTOJORNALISMO – Bruno Leite. Tema: Boa Morte. Recebeu o prêmio das mãos da jornalista, fotógrafa e cantora Rita Tavares.



JORNALISMO ONLINE – Matéria: o custo da permanência, da autoria de Bruno Leite, Cíntia Falcão e Diamila Santos. O estudant…

Moda ou antimoda? 50 anos da Tropicália

Por: Gabriella Freitas, Janeise Santos e Bruno Brito A música brasileira pós-Bossa Nova e a “definição musical” no País estavam cada vez mais dominadas pelas posições tradicionais ou nacionalistas de movimentos ligados à esquerda, e no quesito moda, o que estava em vigor na década de 1960, era um vestuário amarrado a formas retilíneas, tons pastéis e uma cartela de cores nem um pouco ousada. Contra essas tendências, um grupo baiano e seus colaboradores procuraram universalizar a linguagem da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial como o rock, a psicodelia e a guitarra elétrica. Aliado a essa nova experiência musical, os tropicalistas, como passaram a ser chamados, chocavam ao público com suas apresentações de grande apelo visual. É, que, além de transmitir a mensagem por suas letras e melodias irreverentes, os artistas tinham como intenção, desconstruir o conceito estético do belo e adotar a roupa como um prolongamento do corpo, sendo esse, um dos principais elementos d…