Pular para o conteúdo principal

Entrevista com Juliano Mascarenhas

Por Phael Fernandes

Foto: Acervo Pessoal


“A produção acadêmica tem papel fundamental na revelação de talentos”, afirma o professor Juliano Mascarenhas.

    Juliano Mascarenhas possui graduação em Publicidade e Propaganda com Ênfase em MARKETING pela União Metropolitana de Educação e Cultura (2006), Especialista em Docência do Ensino Superior pela FTC e Titulado em Mestrado em Direção Estratégica de Marketing, pela Universidade Europeia Miguel de Cervantes e Universidade Internacional Iberoamericana. Atualmente é professor auxiliar da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia nos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

1- Estamos em sua sexta edição e já podemos dizer que o prêmio é uma tradição. Por que aceitou o convite para participar do evento?

    Sempre que um evento permanece em um calendário por seis anos, temos que encarar como tradição. Ainda mais quando se refere a um evento com a qualidade do Montezuma. Aceitei o convite por encarar como uma honra esta participação, além de idealizadores serem pessoas que têm meu respeito e admiração. Quando falamos em eventos dessa categoria, é sempre satisfatório estar participando.

2- Você estreia fazendo parte do júri. Qual a expectativa em ser jurado do prêmio?

    Me sinto orgulhoso por ser um evento ligado à UFRB. Conheço os professores e alunos do curso e aguardo ser surpreendido em todas as categorias, por conta desta qualidade.

3- O principal objetivo do evento é incentivar as produções feitas pelos discentes de comunicação. O que pensa dessa iniciativa?

    Creio que este seja um dos eventos mais importantes, se não o mais, neste sentido. A produção acadêmica tem papel fundamental na revelação de talentos.

4- Desde a criação do prêmio, é a primeira vez que curso de Publicidade e Propaganda participa do evento. É interessante a interação do curso de jornalismo com o de publicidade e propaganda?

    Muito importante e cabal para desenvolvimento de atividades como o Montezuma. Quando juntas, as duas áreas da comunicação trazem muitas possibilidades, além de serem complementares. O jornalismo não se banca e a publicidade não possui ampla atratividade sem o jornalismo.

5- Qual a importância do prêmio para os cursos de comunicação?

    O incentivo para os discentes produzirem mais e com maior dedicação e para os docentes criarem mais atividades de extensão.

6- De maneira geral, o que o jurado Juliano espera ver?

    A realização de todo esforço dos professores em disseminar o conhecimento e dos alunos em demonstrar a compreensão. Acho que esta combinação renderá ótimos trabalhos.

Postagens mais visitadas deste blog

Moda ou antimoda? 50 anos da Tropicália

Por: Gabriella Freitas, Janeise Santos e Bruno Brito A música brasileira pós-Bossa Nova e a “definição musical” no País estavam cada vez mais dominadas pelas posições tradicionais ou nacionalistas de movimentos ligados à esquerda, e no quesito moda, o que estava em vigor na década de 1960, era um vestuário amarrado a formas retilíneas, tons pastéis e uma cartela de cores nem um pouco ousada. Contra essas tendências, um grupo baiano e seus colaboradores procuraram universalizar a linguagem da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial como o rock, a psicodelia e a guitarra elétrica. Aliado a essa nova experiência musical, os tropicalistas, como passaram a ser chamados, chocavam ao público com suas apresentações de grande apelo visual. É, que, além de transmitir a mensagem por suas letras e melodias irreverentes, os artistas tinham como intenção, desconstruir o conceito estético do belo e adotar a roupa como um prolongamento do corpo, sendo esse, um dos principais elementos d…

Indicados em Matéria Jornalística

Saem os primeiros finalistas para o Prêmio Montezuma: por indicação do professor Carlos Ribeiro, estão concorrendo na categoria Matéria Jornalística: Catharina Arouca e Kaio Pereira - O ensino superior e as consequências para a saúde mental dos jovens. CONFIRA A MATÉRIA DE CATHARINA E KAIO.

Catharina Arouca - Expressão: liberdade ou prisão? CONFIRA AQUI A MATÉRIA DE CATHARINA.

Jamile da Silva e Jaqueline Ferreira - Genocídio da população negra e periférica. CONFIRA A MATÉRIA DE JAMILE E JAQUELINE.

Lucas Mascarenhas - Projetos sociais incentivam jovens de Cachoeira a se aproximarem da dança. CONFIRA A MATÉRIA DE LUCAS.

Magno do Rosário - Paredes pintadas do CAHL dividem opiniões.CONFIRA A MATÉRIA DE MAGNO. A VII edição do Prêmio Francisco Montezuma está marcado para o dia 1° de março de 2018, este ano o prêmio será com o tema Tropicália e será a primeira edição em que será entregue o troféu Rachel Neuberger.

Inscrições seguem abertas

A professora Talyta Singer enviou uma lista com os 10 melhores trabalhos em Webjornalismo nos anos de 2016 e 2017, mas como esta edição premiará todo o período de maneira unificada, estamos trabalhando para publicar, em breve, a relação definitiva dos cinco indicados na categoria.

Como os concorrentes em Matéria Jornalística já estão definidos (confira na postagem anterior) e até o momento os professores não apresentaram suas indicações, seguem abertas as inscrições, que devem ser feitas pelos próprios estudantes, autores dos trabalhos, nas seguintes categorias:

Campanha Publicitária
Jingle Publicitário               Criação em Rádio e TV        Outdoor                                                       Anúncio Impresso                Fotografia Publicitária                    Fotojornalismo                     Radiojornalismo                         Telejornalismo                                          Design Gráfico